Media  |
Fale  |

Brinquedos
Detetive

Impossível alguém não se lembrar de um dos jogos mais sensacionais lançado na década de 80. É o tipo de jogo que até hoje faz sucesso e agrada a todas as faixas etárias.

Detetive (nos Estados Unidos, Clue) é um jogo de tabuleiro originalmente criado por Anthony E.Pratt, em 1944, que teve a ideia original do jogo. Depois disso, ele apresentou o jogo para a Waddington’s Game, na Inglaterra, porém, só foi colocado em produção em 1949, em razão da escassez de material com o final da II Guerra.



Atualmente, é vendido no Brasil pela Estrela, desde os anos 80. Porém, com a decisão da Hasbro de participar diretamente no mercado brasileiro, um acordo com a Estrela permitiu que ambas as empresas lançassem jogos parecidos: Detetive continuou sendo fabricado pela Estrela, enquanto a Hasbro lançou o Clue.

Tudo começa na mansão de um rico industrial, Dr. Pessoa, a vítima do crime. Como um verdadeiro Sherlock, o participante está lá. Só que além de detive, também é um dos suspeitos! Para chegar cada vez mais perto da solução deste mistério, o participante entra com o peão nos possíveis locais do crime e dá palpites sobre o culpado e a arma utilizada. Teria sido o Coronel Mostarda, na biblioteca, com um inocente castiçal?

Detetive é jogado sobre um tabuleiro que simula a mansão com vários cômodos e vários objetos. O objetivo é descobrir qual dentre os seis suspeitos (cujos nomes são ou lembram cores específicas), qual dentre seis armas e qual dentre nove aposentos estão envolvidos em um crime de assassinato.

No início do jogo, três cartas são escolhidas aleatoriamente e colocadas dentro de um envelope para que ninguém as veja. Nessas cartas há um suspeito, uma arma e um cômodo da mansão — as quais revelam, respectivamente, a identidade do assassino, o objeto utilizado no crime e o local onde o assassinato foi cometido. As demais cartas são distribuídas aos participantes.

O objetivo do jogo é encontrar a solução do crime, isto é, descobrir as cartas contidas no envelope. São 6 suspeitos, 6 armas e 9 locais, conferindo 324 possibilidades distintas de crime. No decorrer do jogo, um jogador por vez deve sugerir quais seriam as três cartas do envelope. Os demais participantes deverão contradizer o palpite, exibindo alguma carta que seja parte do palpite, comprovando que a mesma não se encontra no envelope. A carta deve ser mostrada apenas àquele que palpitou.

 


Andrea Bergamo